Colunistas

Primeiros Socorros - 1° Parte

Como Atender um acidente quando não há socorro próximo


16/04/2012 12h13

Uma das coisas mais difíceis no atendimento de urgência é saber o que fazer e quando começar o atendimento.

A grande verdade é a seguinte, após o acidente temos que fazer o melhor possível para deixar o acidentado em boas condições para ser transportado sem afobação e ou desespero.

A regra mais prática é em primeiro lugar se verificar o estado de consciência. Saber se ele está acordado, assustado, mas respondendo a estímulos tais como, onde você está? Que dia é hoje?Qual seu nome? etc.

Caso esteja desacordado a coisa fica mais difícil e aí precisaria mesmo de um médico.

Mas na verdade estamos falando de casos extremos onde você está em um local a ermo cujo recurso não virá.

Neste momento de desespero uma das coisas que pode ajudar em muito é a retirada do capacete. Eu desenvolvi uma técnica que anexo um filme feito de maneira amadora, que pode ajudar a entender.

Vamos lá inconsciente procure não movimentar o paciente, qualquer torção na coluna cervical poderá ser fatal. Levante a viseira e através dela tente se comunicar com o acidentado.

Além das perguntas de seu estado de consciência pergunte se tem dor e tente identificar a onde. Faça perguntas de dores importantes sobre o pescoço e coluna dorsal (as costas) e lombar. A mais importante para retirada do capacete é a do pescoço.

Sem movimentar coloque as mãos espalmadas dentro do capacete e vá empurrando-o para fora na horizontal sem movimentar a cabeça. Antes procure um calço para por embaixo da cabeça. Lembrem-se que existe um degrau entre a cabeça as costas e o chão. Necessitando que o paciente estenda a cabeça.Isto não é bom evite qualquer movimento.

Caso ele esteja consciente fica fácil ele te ajudará fixando a cabeça.

Mas fique esperto, muitas vezes esta consciência não é plena.

Retirar o capacete é o início do atendimento nunca o faça se estiver em rodovias que possuem movimento, sempre alguém irá chamar socorro e você estará livre do susto.

Não pensem que o socorro os caras sempre são bons em São Paulo após ter atendido um motociclista e o deixado em condições satisfatórias, fui surpreendido por um atendimento de urgência péssimo com profissionais mal treinados arrogantes desatentos, que tiveram a gentileza de me ignorar como se eu estivesse ali de palhaço.

Não faz mal o importante é você prestar o socorro, mesmo que você somente fique fazendo companhia a vítima.

Não se precipite a pressa mata mais do que a calma.

Veja vídeo abaixo

No capítulo seguinte falaremos o que fazer após a retirada do capacete

Claudio José Musumeci
2 textos publicados

Claudio José Musumeci Médico especialista em Ortopedia e Traumatologia pela SBOT, Motociclista convicto, Adoro viajar de moto e curtir os momentos bons que a vida proporciona sempre acompanhado de minha esposa Maria Teresa. Proteja-se e Aproveite a Vida

Mototour - Seu portal em duas rodas, Motos, Encontros de Motociclistas, Moto Clube e muito mais...

Todos os Direitos Reservados

Tempo de carregamento da página: 0.21234 segundos