Colunistas

Motociclismo e sociedade

Conhecer sua motocicleta é imprescindivel na estrada


03/04/2019 17h04

A algum tempo atrás, estava eu rumando para a Bahia, e parei em um posto de gasolina na cidade de Linhares- ES que fica a aproximadamente 700 Km do Rio de Janeiro para abastecimento e esticar as pernas, quando adentraram ao posto dois outros motociclistas, sendo que um deles estava em uma moto igual a minha. O mesmo se aproximou e muito educadamente me perguntou se eu sabia qual era a calibragem dos pneus de sua moto. Eu respondi que sabia sim, mas antes de dizer eu o perguntei de onde ele estava vindo, ele me respondeu que vinha de São Paulo. Então eu o perguntei se ele não havia calibrado seus pneus no inicio da sua viagem, o que ele me respondeu que não.

Aí então eu disse: Vamos ao calibrador para ver quantas libras tem nos seus pneus. Chegando ao calibrador medimos e descobrimos que o pneu dianteiro estava com 22 libras e o traseiro estava com 31 libras. Eu fiquei surpreso e preocupado, pois a calibragem correta informada pela fábrica seria 36 libras no dianteiro e 42 no traseiro.

Então perguntei ao colega: Você não sentiu nada de estranho na sua pilotagem principalmente nas curvas de maior velocidade? Ele me disse que vez por outra sentiu algo anormal. Eu disse: Mesmo sentindo algo anormal você continuou rodando por 1100 Km sem nada fazer?

Falei então: Meu amigo você é um sobrevivente, você não sabe o risco que correu, pois para uma pilotagem segura, principalmente em longos cursos e velocidades altas, a calibragem correta é fundamental. Com essa calibragem que está nos seus pneus, não entendo, como não houve um escorregão ou uma desgarrada em alguma curva.

A realidade que vem ocorrendo atualmente, é que com a facilidade que hoje temos em adquirir motocicletas de alta cilindrada, muitas pessoas estão as adquirindo sem muito conhecimento de motociclismo e dos detalhes e cuidados que devem cercar os preparativos para as longas viagens. Muitos não são motociclistas, mas sim proprietários de motocicletas, e sem qualquer cerimônia vão para as estradas colocando em risco a sua sua própria integridade física, bem como eventualmente, a dos demais atores do trânsito.

Não quero aqui dizer que o motociclista de longo curso deve ter conhecimento profundo de mecânica, mas alguns poucos detalhes de sua moto devem ser bem conhecidos. Pois acontece muito, principalmente no interior do Brasil, não haver mecânicos com conhecimento das coisas mais simples das motocicletas pesadas.

A calibragem de seus pneus é um dos itens que temos a obrigação de conhecer, além disso, é fundamental o conhecimento do tipo de todos os óleos que são utilizados na moto, o tipo de pneus, dentre outros itens.

Além desses pequenos conhecimentos, sempre é bom carregar algumas ferramentas simples no alforje, tais como, um bom alicate, chave de fenda e philips, um canivete, um pequeno rolo de arame também não é demais. Existem motociclistas que carregam até kit para conserto de pneus sem câmara e um pequeno compressor que pode ser ligado na bateria. Ou seja, cada motociclista, em função de suas experiências prepara o seus apetrechos de segurança para viajar. Mas uma coisa é certa, o conhecimento daqueles poucos itens que citei acima são muito importantes, e não podem deixar de estar na massa sanguínea do motociclista. É o mínimo que qualquer motociclista que se aventura nas estradas deve conhecer.

É bastante comum em longas viagens haver a necessidade de pequenas manutenções nas máquinas, tais como, troca ou complemento de óleo, lubrificação e regulagem de corrente, além de troca de pneus, sendo que esse pequenos reparos, dependendo do local que estejamos, não há oficinas nem mecânicos credenciados para isso. Então somos nós que temos o dever de executar esses serviços ou de orientar os mecânicos que formos encontrando pelo caminho em caso de necessidade. E para isso é fundamental que tenhamos um pouco de conhecimento de nossas máquinas.

Nas minhas andanças por esse Brasil tenho observado, até com bastante frequência, uma infinidade de pessoas que andam de motos sem nenhum conhecimento das regras mais básicas e fundamentais para um motociclismo seguro, seja na área mecânica ou mesmo na área da pilotagem segura. E o pior dessa história, é que a maioria não tem a humildade de reconhecer sua deficiência, e muitas das vezes, quando um motociclista experiente tenta ajuda-los, eles não aceitam e por vezes, já assisti, contestam com palavras irônicas o conselho ou sugestão daqueles que tentam orienta-los. O que é uma grande pena.

Já disse por aqui diversas vezes, me perdoem por ser repetitivo, mas se faz necessário relembrar que a motocicleta não é perigosa. Perigoso é quem a pilota, além da vulnerabilidade de nosso veículo. Por isso é necessário que sejamos humildes, que tenhamos consciência de nossos limites, e que não nos envergonhemos de nossas fraquezas e escutemos com atenção as experiências dos colegas, e principalmente daqueles colegas mais velhos, que estão a mais tempo nas estradas.

Sonivaldo Vieira Leite
28 textos publicados

70 anos, Casado, Pai de 5 filhos, Engenheiro de Vôo Aposentado, trabalhou na Varig por 39 anos, Motociclista desde 1.972 ininterruptamente. Atualmente possue uma Road Glide Special 2019, Fat Boy 2017 e uma Rocker 2011.

Mototour - Seu portal em duas rodas, Motos, Encontros de Motociclistas, Moto Clube e muito mais...

Todos os Direitos Reservados

Tempo de carregamento da página: 0.11973 segundos