Colunistas

Motociclismo e Segunça

Motoboy e Segurança


23/01/2015 08h41

A profissão do moto-entregador está sendo cada vez mais requerida pelas empresas. Isso ocorre devido a vários fatores relacionados às características da motocicleta como baixo custo de aquisição e manutenção, baixo consumo de combustível, facilidade de estacionamento, agilidade e rapidez nas entregas entre outras.

Entretanto esta profissão exige cada vez mais que o condutor tenha um bom preparo técnico e psicológico para enfrentar um mercado de trabalho onde o fator tempo e quantidade de trabalho são diretamente proporcionais ao ganho no final do mês. Tudo isso se soma a uma pilotagem em alta velocidade e na maioria das vezes com manobras inadequadas como ultrapassagens pela direita, uso de contra mão de direção, desrespeito às preferências e desuso das técnicas de direção defensiva. Claro, isso tudo coloca em risco todos os presentes nas vias de trânsito, mas na maioria das vezes apenas o “motoboy” sofre sérias consequências como hospitalizações prolongadas, períodos temporários ou permanentes de invalidez e não raramente, a morte.

Algumas observações são importantes não só para os motoboys, mas para todos que pilotam motocicletas. Algumas verificações devem ser periódicas e são fáceis.

Verifique na motocicleta:

- Lâmpadas de faróis e setas.

- Buzina.

- Bateria. Verifique o nível da solução a cada 15 dias. Observe vazamentos.

- Calibragem dos pneus. Pelo menos uma vez por semana.

- Óleo do motor. Respeite as orientações do manual quanto ao tipo, volume e período das trocas.

- Suspensão. Observe barulhos, frouxidão e vazamentos de óleo.

- Possíveis parafusos frouxos na moto em geral.

- Manete e pedal de freio. Curso excessivo ou barulhos nas frenagens.

- Corrente: desgaste e tensão. Regule folgas excessivas. Se a corrente soltar pode travar a roda causando acidentes.

O capacete:

Observar validade, estado geral, estado da cinta e fecho de segurança.

O capacete deve ser justo sem ser incômodo, abotoado de maneira que a cinta fique firme ao queixo sem risco de soltar nas quedas.

Importante polir o capacete pelo menos uma vez por mês. Em caso de queda ele deve deslizar com facilidade acompanhando o movimento do corpo. Isso evita trancos no pescoço. Por isso os capacetes “emborrachados”, muito na moda hoje em dia, não são adequados e aumentam o risco de lesão cervical.

O modelo “coquinho” não é permitido por lei.

Capacetes sem viseira somente são permitidos se você usar óculos de proteção adequados. Não é permitido uso de óculos de sol.

Quando comprar um capacete, verifique se ele é aprovado pelo INMETRO.

Dê preferência aos capacetes de cor clara. Você ficará mais visível no trânsito.

Os mototaxistas são responsáveis pelas pessoas que levam na garupa. Portanto observem a correta colocação do capacete pelos passageiros.

Todo cuidado é pouco. Assim como devemos aprender a pilotar uma moto, andar na garupa também é uma arte. Um “garupeiro” inadequado desequilibra o condutor nas curvas, frenagens e acelerações. Muitas vezes pelo modo da pessoa montar na garupa já sabemos “quem” iremos carregar.

Roupas:

Se proteja ao máximo com uso de roupas adequadas e resistentes mesmo nos dias mais quentes. Pense que o chão também estará mais quente nesses dias.

Use tênis ou botas de cano alto que protejam o tornozelo.

Prefira as roupas de cor clara e com faixas reflexivas.

Evite andar de chinelo e bermuda.

Mulheres devem evitar saltos, sandálias, saias e bolsas ou sacolas penduradas nos braços ou no guidon.

Seja visto no trânsito:

Procure ficar sempre ao alcance da visão nos retrovisores dos motoristas evitando os pontos cegos. Se você não vê o motorista no retrovisor do carro, ele também não te vê na moto.

NUNCA ULTRAPASSE PELA DIREITA

Conduzir sempre com o farol aceso mesmo durante o dia (determinado por lei).

Atenção para estas dicas:

Antes de sair, verifique se a encomenda está devidamente acomodada no compartimento específico para o transporte.

Pilote sempre com as duas mãos no guidom.

Diminua bem a velocidade antes dos cruzamentos, mesmo tendo a preferência. Se o motorista na transversal não conseguir parar, você sempre leva a pior.

Nas ruas e estradas a moto deve ocupar o espaço igual ao do carro e você deve manter distância de segurança, inclusive para mudar de faixa e ultrapassar.

Não entre abruptamente ao lado ou à frente de um veículo nas ultrapassagens, muito menos pela direita.

Não faça manobras arriscadas “costurando” entre os carros em movimento ou parados.

As motos não podem circular nas calçadas, canteiro central, acostamentos, praças, calçadões, etc.

Aprenda a frear corretamente e com segurança. Muita gente tem medo de usar o freio dianteiro, sendo ele o mais eficaz nas frenagens. O freio traseiro auxilia na frenagem e no equilíbrio.

Chão molhado exige muito mais distância para parar além de reduzir a estabilidade. Reduza a velocidade nessas situações.

Cuidado com os carros estacionados: alguém pode abrir uma porta sem perceber que você está vindo. Olhe sempre o movimento do interior dos carros.

Cuidado especial com crianças. Elas ainda não tem noção de velocidade e distância. Por isso atravessam de repente na frente dos carros e motos.

Lembre sempre: o pedestre tem preferência em todas as situações, mesmo ele estando errado.

O motociclista deve portar sempre a carteira de habilitação e os documentos obrigatórios da motocicleta.

Cuidado com a pressa:

Entrega rápida é o interesse do dono da empresa, do cliente e mesmo seu mas...

“Motoboy que pensa não entrega sua vida.”

Rodrigo Cavalganti Gonçalves
16 textos publicados

Rodriguim - Motociclista, Pediatra e ex atuante como Perito em Medicina de Tráfego. email: rodriggocg@gmail.com / blog: www.tijucomental.blogspot.com

Mototour - Seu portal em duas rodas, Motos, Encontros de Motociclistas, Moto Clube e muito mais...

Todos os Direitos Reservados

Tempo de carregamento da página: 0.12341 segundos