Colunistas

Motociclismo e a Sociedade

Tombar ou cair, eis a questão...


04/03/2022 13h01

O grande terror de qualquer motociclista é cair de sua moto, se machucar e também quebrar o seu amado veículo. Existe até uma frase que é dita por algumas pessoas: “Existem dois tipos de motociclistas: o que já caiu e o que vai cair”. Eu até parcialmente creio nessa frase, pois é muito difícil andar de moto por muitos e muitos anos sem sofrer qualquer queda. Entretanto, tem que ser a grande preocupação de todo motociclista evitar essa tão ruim ocorrência.

Como tenho dito por aqui em diversas ocasiões, eu piloto motocicletas ininterruptamente desde 1972 , e claro já tive a minha queda, que por sinal não me provocou quebra de nenhum osso, mas me machuquei muito. E de lá para cá, graças ao Bom Deus e aos meus cuidados, nunca mais caí ou tombei. E espero que não aconteça mais.

Fruto de minha grande experiência, reconheço que existem as fatalidades, ou seja, o motociclista está com todo cuidado, com toda a segurança, cumprindo todas as regras da pilotagem e do trânsito, e mesmo assim a queda ocorre.

E qual é a diferença entre tombar e cair? Muitos me dizem que é a mesma coisa. Mas se analisarmos com mais atenção, podemos entender a diferença. Cair é quando estamos em movimento em qualquer velocidade, e tombar é quando estamos parados e a motocicleta vai ao chão. E creiam, é muito comum acontecer os tombos, em especial com as motos de grande peso, ou quando o motociclista tem as pernas muito curtas, levando em conta a altura da moto que o mesmo utiliza. Outro item que provoca tombos é a falta de atenção do piloto, pois é muito comum quando estamos parados nos distrairmos, diferente de quando estamos em movimento, quando a atenção é redobrada. Os garupas com pouca experiência, ou quando não são informados pelo motociclista que o conduz, também provocam tombos. Por isso é muito importante sempre que estivermos garupados, informar ao nosso garupa que só se mexa com intensidade, ou tente descer da moto, quando parada, após a nossa autorização.

Um outro item que também cria polêmica entre os motociclistas, é a ideia de que o tombo não machuca. Isso é um engano. Eu conheço motociclistas que se machucaram muito com um simples tombo. Quando a motocicleta quente e pesada tomba sobre uma perna, ou tornozelo, a coisa fica muito complicada. Eu conheço um motociclista que sofreu um tombo e teve que amputar o pé, pois a motocicleta pesava quase 400 Kg e o motor muito quente, e como ele estava sozinho no acostamento de uma estrada, demorou muito para que chegasse alguém para retirar a moto de cima de seu tornozelo. A queimadura foi quase até o osso e o tornozelo quebrou de uma maneira tão crítica que não houve conserto. Um acidente terrível.

Não existe fórmula secreta para se livrar da queda ou do tombo. O que existe é extrema atenção quando pilotando e quando pararmos, devemos logo baixar o descanso, antes de qualquer outra ação.

Sonivaldo Vieira Leite
35 textos publicados

70 anos, Casado, Pai de 5 filhos, Engenheiro de Vôo Aposentado, trabalhou na Varig por 39 anos, Motociclista desde 1.972 ininterruptamente. Atualmente possue uma Road Glide Special 2019, Fat Boy 2017 e uma Rocker 2011.

Mototour - Seu portal em duas rodas, Motos, Encontros de Motociclistas, Moto Clube e muito mais...

Todos os Direitos Reservados