Motocicleta

Primeira Motocicleta

A história da motocicleta


03/02/2012 19h53

A PRIMEIRA MOTO

Veículo de transporte no qual os princípios da bicicleta e do motor de combustão interna se acham combinados. O primeiro triciclo a motor foi construído pelo inglês Edward Butler, em 1884, e a primeira motocicleta que apareceu em público foi montada pelo alemão Gottlieb Daimler, em 1885.

O doutor Otto (inventor do motor de combustão interna) tinha um assistente chamado Gottlieb Daimler, que o deixou em 1883 para desenvolver o seu próprio motor de combustão interna.

Daimler adaptou o seu motor a uma estrutura de madeira em 1885. Na realidade, tinha quatro rodas, mas a história ignora os dois pequenos estabilizadores e considera que esta é a primeira moto.

O motor era posicionado verticalmente no centro da máquina; a transmissão à roda de trás fazia-se através de uma correia para um contraveio, depois através de um carreto.Um punho rotativo controlava o travão de trás. A válvula de escape era operada mecanicamente, mas a válvula de admissão abria-se pela sucção do pistão.

O motor Daimler, arrefecido a ar, tinha um carburador de superfície e uma ignição de tubo incandescente; este motor atingia as 700 rpm. A 10 de Novembro de 1885, o filho de Daimler, Paul, percorreu 9,5 km, de Cannstat até Unterturkhein e volta, tornando-se assim o primeiro motociclista do mundo.

A alimentação melhorou substancialmente quando o assistente de Daimler, Maybach, inventou o carburador de pulverizador. Na Inglaterra, em 1887, Edward Butler construiu um triciclo com ignição elétrica e com um carburador com depósito de alimentação.

A motocicleta não teve grande difusão até 1896, quando os veículos que trafegavam nas estradas foram dispensados de levar um homem com uma bandeira vermelha à frente e puderam desenvolver uma velocidade de até 22,5km/h, em vez de 6,5km/h.

Em 1903 existiam mais de 50 tipos de motocicletas e triciclos a motor percorrendo as estradas inglesas (o maior e mais completo museu da motocicleta no mundo é o Beaulieu Abbey, em Hampshire, Reino Unido).

As primeiras motocicletas não eram mais do que bicicletas dotadas de motor. Este não tinha colocação uniforme, e geralmente movia a roda traseira por meio de uma corrente.

Cedo, porém, tornou-se claro que o melhor era situar o motor abaixo e perto do eixo da armação, porque um centro de gravidade baixo significava um controle mais seguro e aumentava a estabilidade na direção.

A motocicleta teve amplo uso militar nas duas guerras mundiais. Depois de 1945, verificou-se o crescimento da indústria britânica de motocicletas; posteriormente, a indústria japonesa tornou-se a maior do mundo, enquanto a Itália, Alemanha, França e Bélgica firmavam-se como grandes exportadores.

Veja os estilos das motocicletas:

BIG TRAIL:

Categoria que inclui modelos de motocicletas aptas a incursões por estradas pavimentadas e estradas de chão batido, muito utilizadas em viagens de longa distância que incluem trechos de off-road. Mantém o piloto numa posição sentado e confortável e tem espaço para colocação de cases e baús para transportar bagagem. São mais confortáveis e mais pesadas que as trail ou todo terreno. Tem pneus de uso misto e tanques de combustível que chegam a 40 litros, para permitir boa autonomia em trechos longos em que não é possível o reabastecimento. São a maioria das motos que participam de Rallies.

BOBBER:

As "Bobber" são motos das décadas de 20 e 30. São caracterizadas por serem bem rústicas pois as primeiras motos desse estilo eram "rabo duro" (sem amortecedor traseiro), o centro de gravidade é bem baixo, seu tom de pintura bem peculiar, haja vista que eram utilizadas até 14 camadas de tinta (a moto ficava com o tom de cor parecido com o de panelas esmaltadas). Há quem diga que as motos custom derivaram das bobber.

CHOPPER:

Quando se fala em moto "chopper", a primeira imagem que vem à cabeça é uma moto com muitos cromados, garfo dianteiro enorme, guidão alto (apelidado de "seca-sovaco") e tanque em forma de gota. As chopper nasceram quando do regresso dos soldados norte americanos da 2ª guerra mundial, que depois de andarem na Europa em motos mais leves e ágeis, começaram a retirar peças dispensáveis, segundo eles, das suas Harleys. Este estilo de moto tem a filosofia de retirar tudo o que não é necessário em uma moto, dai vem seu nome que, em inglês, significa cortar. Geralmente não possuem banco para o garupa, alforges ou paralamas dianteiros. As chopper são motos que derivam das custom, com a diferença na posição do tanque que é alto na frente e baixo atrás formando uma linha com o eixo da roda traseira. O garfo tem um ângulo em relação ao motor maior que nas custom e seu comprimento também é maior, deixando a distância entre eixos bem grande. Seu visual é bastante despojado e agressivo. O conceito de moto chopper, originado dos EUA, foi disseminado mundo afora através do filme Easy Rider (Sem Destino), lançado em 1969, em que os atores Peter Fonda e Dennis Hopper interpretam os dois motociclistas que viajam pela américa sobre suas choppers. As motos do filme Easy Rider, que tinham nome (chamavam-se: Capitão América e Billy Bike), talvez sejam as "choppers" mais famosas do mundo.

A partir desse momento, o design da moto chopper se difundiu, o que levou os proprietários das Harley e das Indians a modificarem suas motocicletas em busca do visual chopper. Hoje, a industria de motos chopper continua com seu espírito "hand made", mas não mais modifica motos de linha, e sim constrói as motos, desde o chassi, motor, tudo personalizado. A febre chopper é tamanha, que existe até um programa de tv, mostrando o dia-a-dia de uma fábrica de choppers, o American Chopper (Orange County Choppers, no original).

CUSTOM:

As custom (garfos dianteiros inclinados para a frente ângulo de caster) são motos estradeiras, preferidas por um público mais tradicional. Não priorizam a velocidade, mantendo a altura do banco baixo, pedaleiras avançadas, tanque grande em posição paralela ao chão de forma a proporcionar uma posição confortavel para pilotagem em viagens longas, seja sozinho ou acompanhado. O piloto fica recostado para trás, com os pés para a frente, com as costas geralmente apoiadas em encostos.

É comum o uso de peças cromadas e brilhantes, copiando o design das motos antigas. Geralmente possuem alforjes em couro, que são malas para levar a bagagem. No Brasil, existem muitos moto clubes cujos integrantes apreciam o estilo das motos custom e que vêem nessas motos um estilo de vida. Uma variação dentro desta categoria são as roadsters, que aliam o visual e a posição de pilotagem das custom com o alto desempenho das esportivas.

ESPORTIVA:

As esportivas são motos com design futurista e mecânica de excelente desempenho, utilizadas em campeonatos como MotoGP e o Superbike, onde as montadoras aprimoram suas tecnologias nas pistas . Os motores geralmente possuem mais de 600 cm3 de cilindrada, o que permite que algumas alcancem velocidades acima de 300 km/hora reais. Em geral possuem discos de freios duplos, quadros fabricados em materiais leves, design esportivo, avanços com posição de pilotagem baixa e escapes com ruído esportivo. São dotadas de carenagem, com o objetivo de reduzir a resistência com o ar. A relação peso-potência dessas motos já ultrapassou a barreira de 1:1, onde cada cavalo de potência "empurra" um peso inferior a um quilo. Pela posição de pilotagem (o piloto fica praticamente deitado sobre o tanque de combustível, com o tronco inclinado para a frente e os pés para trás), não são motos muito confortáveis para utilização em vias urbanas ou viagens longas, sendo mais indicadas para condução em circuitos fechados.

FUN BIKE:

A fun bike é a moto classificada como para terreno de asfalto e para terrenos de terra (categoria on-off), geralmente de média a alta cilindradas, contam com segurança e conforto para pilotagem. Com essas características, são bastante utilizadas por pessoas que podem utiliza-la tanto para turismo, lazer e uso urbano além de utilitárias pela polícia, bombeiros e resgates.

GRÃ-TURISMO:

Como o próprio nome diz, esta categoria inclui as motocicletas voltadas para o público que gosta de viagens longas em estradas, contam com diversos itens de conveniência para enfrentar longas viagens, como tanques com grande capacidade de combustível, malas e/ou alforges laterais, pára-brisas e, não raro, marcha-a-ré e sistema de som, privilegiando acima de tudo o conforto do piloto e garupa.

HYPER SPORT:

Motocicletas desta categoria têm como características marcantes os motores de grande deslocamento com forte ênfase na velocidade máxima e aceleração. São comumente equipadas com motores de grandes cilindradas. Caracterizam-se, também, por serem maiores e mais pesadas do que as super esportivas, com peso a seco em torno de 227 kg (500lb). O aumento de peso compromete a performance em autódromos (onde podem existir muitas curvas fechadas) em favor da estabilidade para alcançar velocidades que podem exceder os 290 km/h (180 mp/h). Esse compromisso também permite aos fabricantes criarem posições de pilotagens que sejam mais ergonômicas ao piloto.

MINIMOTOS OU POCKETBIKE:

As Minimotos ou pocketbikes são veículos de competição. Em diversos países realizam-se campeonatos regionais e nacionais. Pilotos como Valentino Rossi ou Sete Gibernau iniciaram a sua carreira no motociclismo em campeonatos de minimotos. No entanto, as minimotos são especialmente procuradas por adeptos do motociclismo de velocidade como forma econômica de conduzir em circuito ou participar em competições amadoras. As suas potências podem variar desde os 2,5 cavalos para as Classes Júnior, a 18 ou mais cavalos para os modelos de grande preparação participantes nas classes Open.

NAKED:

As naked ("nuas"), são motos que têm bom desempenho (algumas de alta cilindrada) em relação ao motor e conjunto mecânico, mas modificadas para permitir uma posição de pilotagem menos deitado, e mais sentado, melhorando o conforto para condução em vias urbanas, com guidão mais alto do que nas esportivas, porém não possuem carenagem. Com faróis redondos e pneus esportivos, possuem design misto entre motos de passeio e motos esportivas. São mais adequadas que as esportivas para andar entre os carros na cidade, e apresentam bom desempenho nas estradas. O único inconveniente é a falta de proteção contra o vento no caso de serem utilizadas em viagens.

SCOOTER:

As scooter são motos que permitem a posição de pilotagem sentada e com os pés apoiados no piso, que não são necessários para a troca de marchas. Geralmente possuem câmbio automático (CVT) por corrente dentada com polias variáveis. Usadas para pequenos deslocamentos e lazer, apresentam compartimentos porta-capacetes que permitem ao usuário deixá-lo escondido na moto enquanto não estão sendo utilizadas. Geralmente são motos de baixa cilindrada (de 50 a 125cc), apresentam baixo desempenho, baixa manutenção e baixo consumo de combustível, mas existe uma tendência de equipar as scooters com motores maiores, de até 650 cilindradas, para atingir uma pequena fatia do mercado de usuários que querem maior desempenho aliado ao conforto de pilotar com os pés apoiados. Na Europa, é comum o uso de scooters de 125 e 250cc por executivos, sendo que em alguns países são a categoria de motocicletas mais vendida.

SIDE CAR:

É um acessório com uma roda que não é alinhada diretamente com a roda traseira da motocicleta, e é montado lateralmente na moto. Recebe este nome por ter um formato parecido com um carro pequeno e por estar preso lateralmente à moto. É tracionado apenas pela roda traseira da moto, sendo diferente de um triciclo motorizado, no qual as duas rodas traseiras são tracionadas e compartilham o mesmo eixo.

STREET:

As street são motos que apresentam conforto e mobilidade para serem utilizadas no trânsito urbano, geralmente entre 125 a 500 cilindradas. A posição de pilotagem é sentada, com os pés apoiados nas pedaleiras. Apresentam desenho simples, com banco para garupa, sem muitos acessórios, e permitem a utilização entre os veículos nas vias urbanas (corredores).

STREETFIGHTER:

Conceito criado na década de 1990 para designar motos esportivas utilizadas para rachas em centros urbanos. Geralmente são removidas grandes partes como carenagem e faróis e incluídas outras peças como protetores laterais, resultando em uma motocicleta de estilo agressivo.

SUPERMOTARD:

Motos originalmente de trail e cross mas que foram adaptadas para competições em circuitos que alternam trechos de alta velocidade em asfalto com trechos de terra e saltos. Até a década de 1990, eram projetadas pelos próprios donos ou oficinas especializadas, o que ocasionou o interesse de montadoras a fabricarem os modelos. Possui característica trail com ciclística esportiva, com rodas e pneus esportivos. Existem muitas competições, inclusive no Brasil, onde são chamadas também de Super Moto.

TRAIL:

As motos off-road (de todo o terreno) são utilizadas por praticantes de motocross, supercross, enduro, cross-country, trial, rally e trail. Os pneus são específicos, geralmente para tração na terra e rodas maiores, para transpor obstáculos com facilidade. A sua suspensão possui um curso total maior, sendo mais altas em relação ao solo, para absorver impactos e não os transmitir para o piloto. O visual geralmente é despojado, com desenho rústico e/ou agressivo, sem acessórios que possam ser danificados quando a moto for utilizada em trilhas. Possuem também uma relação de marchas curta e rápidas acelerações, com motores de 125 a 600 cm3 de cilindrada ou mais.

UNDERBONE:

As underbones são motos de dimensões reduzidas, menores do que as street, geralmente com câmbio semi-automático, baixas cilindradas (abaixo de 125cc), baixo desempenho, baixa manutenção e baixo consumo de combustível. Com essas características, são bastante utilizadas por empresas de serviços de entrega urbanas (Motoboy), por unir a facilidade da condução em corredores das vias urbanas ao baixo custo da moto e baixo custo operacional. Apresentam acelerações menores do que as street e velocidades máximas de cerca de 100 km/ hora.

WHEELIE:

O Wheelie (também conhecido como wheeling, ou stunt) é um esporte radical praticado com motocicleta, que consiste em realizar manobras e onde força e equilíbrio são exigidos ao máximo dos praticantes. O termo Wheelie é anglófono e quer dizer "Empinar", porém no Brasil usa-se para designar o esporte como um todo, não apenas para o ato de empinar. As motocicletas são especialmente preparadas para a prática do wheeling, pois exigem maior resistência a impactos constantes. Usam-se variadas potências, desde 50cc a 1200cc, e geralmente são retirados componentes da parte dianteira como painél, setas e farol. Possuem uma espécie de churrasqueira que é um suporte traseiro para proteção do quadro e demais peças e para melhorar a performance dos pilotos. Em alguns modelos os freios traseiros são além de acionados com o pé, com as mãos, através de um pequeno manete localizado embaixo do freio dianteiro. A relação é mais curta, com coroas de tamanho maior, possibilitando ter mais controle sobre a potencia do motor. Os pneus são calibrados com pouca pressão para que se tenha maior aderencia e domínio.

Mototour - Seu portal em duas rodas, Motos, Encontros de Motociclistas, Moto Clube e muito mais...

Todos os Direitos Reservados

Tempo de carregamento da página: 0.10255 segundos