Notícias

A circulação nos "corredores" finalmente terá uma regulamentação própria (Foto: Reprodução - Reuters)

Alterações no Código de Trânsito Brasileiro trazem benefícios para os motociclistas

Texto aprovado na Câmara tem propostas para circulação em "corredores" e áreas de espera para motos nos semáforos, entre outras novidades


Roberto Dutra

Mototour

26/06/2020 16h37

As recentes mudanças no Código de trânsito Brasileiro (CTB) foram amplamente divugados na TV e nos jornais, mas o foco nessas mídias acabou sendo, como era de se esperar, o novo sistema de pontuação e os novos prazos de renovação da carteira nacional de habilitação de acordo com a faixa etária do cidadão. E foram pouco divulgadas as alterações que dizem respeito a motocicletas e motociclistas. Nenhuma surpresa, já que o Brasil nunca foi umm país muito preocupado com esse "pequeno universo" de 27,5 milhões de pessoas - exceto quando é para falar de acidentes, acidentados, seguro obrigatório e temas afins. Mas estamos aqui para tentar minimizar esse problema crônico e trazer aos caros leitores do Mototour as principais novidades para quem anda de moto, seja a trabalho ou a lazer.

Para começar, a votação do projeto de lei que altera o CTB realizada no último dia 24 trouxe, finalmente, a permissão para que motocicletas, motonetas e ciclomotores trafeguem nos "corredores" formados pelos outros veículos. Mas isso só deverá ser feito quando o trânsito estiver parado ou muito lento, e em "velocidade reduzida e compatível com a segurança dos pedestres e demais veículos". Ainda não há especificação do que significa "muito lento" ou "velocidade compatível" - isso ficará a cargo do Conselho Nacional de Trânsito (Contran), assim como outras regulamentações.

Vale acrescentar que o texto determina que esse tráfego no "corredor" só será permitido quando houver mais de duas faixas de circulação, e somente no espaço entre as duas faixas mais à esquerda. Caso haja faixa exclusiva para transportes coletivos na extrema esquerda, esta será desconsiderada para este fim. No fim das contas é tudo uma boa evolução, já que atualmente não há nada no CTB sobre circulação de motos nos "corredores", o que gera insegurança jurídica e confusões - em algumas rodovias as motos têm sido multadas por isso, sob o argumento de não estarem a distâncias seguras dos outros veículos.

O texto também sugere a criação de "áreas de espera”, uma espaço exclusivo para motocicletas próximo aos sinais (semáforos) de trânsito, logo à frente da linha branca que limita a parada dos demais veículos. Em algumas cidades essas áreas já existem, mas a iniciativa é excelente porque poderá tornar obrigatórios esses espaços, que efetivamente contribuem para a segurança dos motociclistas.

Outra novidade é a mudança da idade mínima para crianças andarem na garupa - subiu de sete anos e meio para dez anos. O desrespeito à nova regra é infração gravíssima, punida com multa, retenção do veículo e da carteira do condutor e suspensão do direito de dirigir. Já as mudanças sugeridas nas infrações cometidas por quem circula com viseira aberta ou sem óculos de proteção não aconteceram: continuam sendo gravíssimas.

Validade da CNH

O projeto também altera a validade da CNH de acordo com faixas etárias e cria uma vinculação da suspensão do direito de dirigir por pontos à gravidade da infração.

Pela proposta, a renovação terá validade de 10 anos para condutores com menos de 50 anos; de cinco anos para aqueles com idade igual ou superior a 50 e inferior a 70 anos; e de três anos para condutores com 70 anos ou mais.

Já a pontuação para suspensão do direito de dirigir será de 40 pontos para quem não tiver cometido nenhuma infração gravíssima; de 30 pontos para quem tiver cometido uma gravíssima; e de 20 pontos para quem tiver cometido duas ou mais infrações gravíssimas.

Por fim, o texto também cria um Registro Nacional Positivo de Condutores (RNPC), no qual constarão os dados dos condutores que não cometeram nenhuma infração de trânsito sujeita a pontuação pelo período de doze meses. A idéia do cadastro é possibilitar benefícios como descontos na contratação de seguros. Agora o projeto segue para apreciação do Senado. Se sofrer alterações lá, volta para a nova votação na Câmara do Deputados. Se não mudarem nada, vai à sanção presidencial.

Notícias relacionadas

Ducati XDiavel ganha nova versão na Itália

Royal Enfield Classic 500 volta ao mercado

Triumph Speed Twin ganha linha 2021 na Inglaterra

Kymco lança scooter com pegada "aventureira"

Nova geração da Honda Transalp está a caminho?

Triumph lança sistema de navegação

Com novas cores e grafismos, Yamaha MT-07 2022 já está à venda

Harley-Davidson tira dúvidas sobre moto, pilotagem e equipamentos de segurança

Yamaha lança a esportiva R7 na Europa. Será que vem para o Brasil?

Triumph cria modelo especial da Thruxton 1.200 RS para evento anual

Mototour - Seu portal em duas rodas, Motos, Encontros de Motociclistas, Moto Clube e muito mais...

Todos os Direitos Reservados