Notícias

A Fat Boy completa 30 anos como uma das motos preferidas dos harleyros (Foto: Divulgação)

Balzaquiana em plena forma

Harley-Davidson Fat Boy completa 30 anos de estrada e ganha edição comemorativa com 2.500 unidades


Roberto Dutra

Mototour

14/05/2020 15h21

Um dos modelos mais admirados da Harley-Davidson está completando 30 anos de estrada. A Fat Boy vira balzaquiana e, sabendo como seus clientes mais fiéis curtem efemérides e datas comemorativas, a Harley lança uma edição especial de 30 Anos limitada a 2.500 unidades - ainda não se sabe se algumas virão para o Brasil.

A moto tem acabamento exclusivo, a inscrição "30" nas laterais do tanque e uma espécie de plaquinha na parte superior da peça, com o número da unidade. A pintura é predominantemente na cor preta, incluindo os escapes, as capas da suspensão dianteira e as rodas de 18 polegadas - que calçam pneus com 160mm de largura na frente e 240mm atrás - com detalhes na cor bronze.

A única opção de motor é o manjado V2 Milwaukee-Eight 114, de 1.868cm³ e oito válvulas (a Fat Boy "normal" também tem a opção da versão 107, com 1.745cm³). Refrigerado a ar e óleo, gera 16,4kgfm de torque. Suspensão dianteira invertida e traseira monochoque (com ajuste de pré-carga), ambas da japonesa Showa, farol de LED com luz de rodagem diurna, painel com um único relógio e tancão para 18,9 litros completam as características básicas da Fat Boy 3 Anos.

Uma pitada de história

A Fat Boy foi lançada em 1989 como modelo 1990, dentro da linha softail. É criação de Willie G. Davidson, e foi inspirada na Hydra-Glide de 1949, que já tinha um visual robusto, com guidom bem largo, farol redondo e grande, pneus de perfil alto e as marcantes rodas "fechadas", sem raios, que se tornaram sua marca registrada.

Ao longo dos anos a Fat Boy passou por mudanças normais, como leves alterações em grafismos, cores e acabamento. E somente em 2018 foi completamente modernizada - um radicalismo que gerou certa polêmica entre os clientes mais ortodoxos, que não curtiram aquela "Fat Boy futurista". Falando nisso, vale lembrar que o sucesso da moto foi muito embalado pela "participação" nos filmes da franquia "O Exterminador do Futuro", com Arnold Schwarzenegger, de 1984 e 1991.

A origem do nome (garoto gordo, em inglês) é polêmica. A explicação mais aceita é que veio do próprio marketing da empresa, numa brincadeira com as formas arredondadas e gorduchas da moto. Mas há, também, a lenda urbana de que veio da junção dos nomes das bombas que foram lançadas pelos Estados Unidos sobre Hiroshima e Nagasaki, no Japão, na II Guerra Mundial – "Fat Man" e "Little Boy". Preferimos a primeira explição...

Notícias relacionadas

Triumph Tiger 900 começa a ser vendida na Índia. E no Brasil, quando será?

Royal Enfield Meteor 350 será lançada na Índia no fim de junho

Mais uma da série "motos que gostaríamos de ter por aqui"...

Yamaha registra patente das novas Fazer 250 e MT-03 no Brasil

Kawasaki Vulcan vai ganhar versão H2

Harley FXDR ganha edição limitada

Triumph Scrambler ganha série especial "Bond Edition"

Harley-Davidson adia lançamentos de big trail e de streefighter

Como ler o pneu da sua moto

Ducati apresenta oficialmente a nova Scrambler no Brasil

Mototour - Seu portal em duas rodas, Motos, Encontros de Motociclistas, Moto Clube e muito mais...

Todos os Direitos Reservados

Tempo de carregamento da página: 0.08989 segundos