Notícias

Honda confirma CRF 1.100L Africa Twin e mais dois modelos para 2021

Além da big trail, marca revelou que venderá no mercado brasileiro o "scooterzão" Forza 350 e a superesportiva CBR 1.000RR-R Fireblade SP


Roberto Dutra

Mototour

30/11/2020 15h12

Não é todo dia que uma fabricante de motocicletas antecipa seus próximos lançamentos - e ainda mais com uma boa antecedência. Pois bem, a Honda revelou que venderá no Brasil, no ano que vem, a big trail CRF 1.100L Africa Twin, a superesportiva CBR 1.000RR-R Fireblade SP e o scooter Forza 350 - este último o único realmente inédito, já que tanto a Africa Twin quanto a Fireblade já são vendidos aqui e o que vem em 2021 são versões modernizadas.

A CRF 1.100L Africa Twin é a nossa conhecida CRF 1.000L Africa Twin crescidinha e melhorada. Existe na Europa desde abril e seu motor tem 1.084cm³, 102cv de potência e 10,7kgfm de torque, contra 998cm³, 95cv e 10,1kgfm de antes. As distâncias entre os números pode até não impressionar, mas vale lembrar que a moto ficou 5kg mais leve - e aí tudo faz uma boa diferença.

A Africa Twin também ganhou ABS com atuação nas curvas, controle antiempinamento, painel de TFT com 6,5 polegadas e a opção da transmissão automatizada Dual Clutch Transmission (DCT). O sistema estreou no Brasil anos atrás, na VFR 1.200 F e Crosstourer. Nunca foi um grande sucesso, mas existe até hoje - está no scooterzão aventureiro X-ADV 750 e na grandona touring GL 1.800 Gold Wing. Na Europa, porém, tem seu público: em 2019, 45% das Africa Twin, 52% das NC 750X e 67% das Goldwing vendidas tinham o câmbio DCT.

A Honda promete vender quatro configurações da moto: teremos as versões standard e Adventure Sports com ou sem a transmissão DCT. E diz que a configuração com câmbio tradicional de seis marchas terá uma "configuração esportiva" - mas não revelou detalhes sobre o que será isso. Vale lembrar que as configurações Adventure Sports têm tanque com maior capacidade e alguns itens de comodidade e conforto a mais.

A Africa Twin 2021 também terá modos de pilotagem que ajustam níveis de potência e interferência do freio-motor e do controle de tração. O banco ficou 2cm mais baixo, para facilitar a pilotagem por condutores de baixa estatura. E o design mudou sutilmente: a moto ficou mais elegante e discreta - e, por isso mesmo, mais bonita.

Forza 350

O Forza foi visto no Salão Duas Rodas do ano passado, ainda com motor de 300cm³. Mudou lá fora em julho último, quando o motor cresceu para 350cm³, e é este que virá para cá. Com refrigeração líquida e comando de válvulas simples, agora são 29cv de potência e 3,2kgfm de torque, já atendendo à norma Euro 5.

O Forza é cheio de recursos: tem controle de tração desligável, ABS nas daus rodas e pneus gradinhos: 120/70 R15 na frente e 140/70 R14 atrás. O tanque leva 11,7 litros e a autonomia pode chegar a 350km/l com consumo médio prometido de 30km/l.

O painel é completinho, como manda o figurino, mas sem exageros. Com tela de LCD, tem velocímetro, indicadores de combustível, da temperatura, de consumo médio e instantâneo, relógio, e hodômetros total e dois parciais. O Forza ainda tem tomada USB no escudo, partida sem chave (smartkey), iluminação por LEDs, pára-brisa com regulagens elétricas e espaço embaixo do assento para guardar dois capacetes.

CBR 1000RR-R Fireblade SP

A nova Fireblade chega com o motor de 1.000cm³ mais potente já feito pela Honda para uma moto de produção em série. O quatro-em-linha de 999cm³ vai chegar aos 214 cv, girando a obtusos 14.500 rpm! Algumas característocas dese motor são iguais à do usado na RCV213V-S, do MotoGP. O

O design também ficou diferentão e invocado, mas nem por isso feioso: chegou até a ganhar o prêmios internacional Red Dot Award, na categoria design de produto. Recursos da moda, a moto ganhou "winglets" no interior da carenagem - aquelas aletas que aumentam a pressão aerodinâmica e deixam a moto coladaça ao solo em altas velocidades.

E há outras mudanças: a carenagem foi toda redesenhada, o chassi ficou mais leve e suspensão agora é Öhlins Smart EC, com interface eletrônica Objective Based Tunning interface (OBTi), que permite ajustes via painel de instrumentos. Os freios são fornecidos pela Brembo - modelo Stylema - e novo o painel de TFT é completo e interativo. Por ele, o piloto ajusta não só a suspensão Öhlins, como também os três modos de pilotagem, as nove opções de controle de tração, as três de antiempinamento, a pressão do amortecedor de direção, a interferência do freio motor e o funcionamento do quickshifter. Data de chegada de cada um dos modelos e preços serão revelados somente no ano que vem. A conferir.

Confira abaixo a pinta do scooterzão Forza 350 e a cara de malvada da Fireblade 2021:

Notícias relacionadas

Harley-Davidson do Brasil tem planos de financiamento com parcelas baixas e recompra garantida em janeiro

Convocação extraordinária: recall para a Honda CRF 1.000L Africa Twin

Seguro DPVAT não será cobrado em 2021

Kawasaki começa a vender a Versys X-300 2021

Um torpedo de fina estampa

Harley-Davidson anuncia data de lançamento da Pan America 1.250

Kymco entra na onda dos scooters "aventureiros"

BMW registra mais uma da versão da custom R18: é uma bagger chamada Transcontinental

A Harley-Pan America em sua plenitude

Linda, diferente e polêmica, eis a Ducati Monster 2021

Mototour - Seu portal em duas rodas, Motos, Encontros de Motociclistas, Moto Clube e muito mais...

Todos os Direitos Reservados