Notícias

Yamaha lança a esportiva R7 na Europa. Será que vem para o Brasil?

Substituta da R6 tem o mesmo motor bicilíndrico da MT-07, o que a torna candidata ao mercado nacional em um futuro próximo


Roberto Dutra

Mototour

21/05/2021 19h07

A Yamaha fez suspense, mas lançou a nova geração da esportiva YZF-R7 na Europa. Ela entra no lugar da extinta YZF-R6 e tem uma surpresa: usa a base da naked MT-07, com motor bicilíndrico, enquanto as esportivas médias do segmento habitualmente usam motores de quatro cilindros.

A adoção desse motor menor - e que já existia - foi para reduzir de produção e chegar a um preço competitivo. É simples: motos bicilíndricas usam menos peças do que as com quatro cilindros.

Parece ter dado certo: nos Estados Unidos, ela vai custar inicias US$ 9.000, o equivalente a R$ 48.300, e na Europa, umas 8.000 libras - cerca de R$ 60 mil.

Assim, no Velho Continente, terá valor inferior aos das rivais Aprilia RS 660, de cerca de R$ 75 mil, e Kawasaki ZX-6R, de R$ 72 mil. E ficará no mesmo patamar da Honda CBR 650R, de R$ 60 mil, e apenas pouco acima da também bicilíndrica Kawasaki Ninja 650, de R$ 53 mil.

O motor é o mesmo da MT-07 vendido no Brasil. Tem 689cm³ de capacidade cúbica, e rende 73,4cv de potência máxima a 8.750rpm e torque de 6,8kgfm a 6.500rpm. Motor e chassi podem ser iguais aos da naked, mas R7 tem desempenho superior graças à aerodinâmica, a uma nova central eletrônica (mapeada para a performance esportiva) e a outros componentes diferentes, como entradas de ar, dutos de admissão, escape, câmbio com relações mais curtas (quickshifter opcional) e embreagem deslizante e assistida.

Com tudo, isso, sua velocidade máxima é 20km/h superior à da naked - e olha que ela pesa 188kg em ordem de marcha, ou 4kg a mais que a "peladinha". A R7 ainda tem suspensão dianteira invertida ajustável e traseira monochoque com link (ambas com 13 cm de curso), pinças de freio dianteiras radiais Brembo e pneus 120/70 R17 na frente e 180/55 R17 atrás. Outras medidas da moto são 2,07 m de comprimento, 70,5 cm de largura, 1,16 m de altura máxima, altura do banco de 83,5 cm e vão livre de 12,5 cm. O tanque leva 13 litros de combustível.

O design é exótico e robótico. O farol principal fica no meio da carenagem frontal e, em suas laterais, há luzes adicionais de rodagem diurna (DRLs). Lá atrás, a lanterna é vertical. Toda a iluminação da moto é com LEDs. O painel de instrumentos é uma tela de LCD com luzes-espia na parte superior, enfileiradas lado a lado. Abaixo, surgem um indicador de marchas no canto superior à esquerda, o conta-giros em forma de uma barra horizontal na parte superior e o velocímetro como elemento principal. Na extrema direita, marcador de combustível e lá embaixo, dados do computador de bordo.

A moto já está sendo vendida nos Estados Unidos e as primeiras entregas na Europa estão previstas para outubro. Ainda não há previsão para o Brasil. Mas se levarmos em conta o compartilhamento de vários componentes com a "nossa" MT-07 - e a ausência da marca no segmento aqui no Brasil - , há boas chances desta R7 aparecer no Salão Duas Rodas de São Paulo, em novembro de 2022.

Notícias relacionadas

Ducati XDiavel ganha nova versão na Itália

Royal Enfield Classic 500 volta ao mercado

Triumph Speed Twin ganha linha 2021 na Inglaterra

Kymco lança scooter com pegada "aventureira"

Nova geração da Honda Transalp está a caminho?

Triumph lança sistema de navegação

Com novas cores e grafismos, Yamaha MT-07 2022 já está à venda

Harley-Davidson tira dúvidas sobre moto, pilotagem e equipamentos de segurança

Triumph cria modelo especial da Thruxton 1.200 RS para evento anual

Salão Duas Rodas é adiado para 2022

Mototour - Seu portal em duas rodas, Motos, Encontros de Motociclistas, Moto Clube e muito mais...

Todos os Direitos Reservados